Conforto acústico agora será compromisso de todos os empreendimentos

Conforto acústico agora será compromisso de todos os empreendimentos

 

“Fabricamos tijolos de acordo com as normas ambientais. Nosso produto cerâmico sempre teve uma preocupação elevada com esse aspecto termoacústico” – Diamantino Galinari, vendedor técnico da Cerâmicas Braúnas

 

via Conforto acústico agora será compromisso de todos os empreendimentos – Lugar Certo.

Anúncios

O momento em que o corretor de imóveis é fundamental!

Negociar um imóvel sem um profissional capacitado acarreta diversos riscos que comprometem a segurança e o conforto das partes envolvidas
O corretor de imóveis representa um peso importante na intermediação da compra, venda, permuta e locação de imóveis.

Hoje, cerca de 15% dos corretores de imóveis no Brasil já possuem o curso superior em gestão de negócios imobiliários e a capital federal tem 18 mil profissionais cadastrados no Creci-DF. A procura pelo diploma e o crescimento da profissão em 21,8% em 2010 reafirmam as responsabilidades dos profissionais registrados no conselho local, que representam um peso importante na intermediação da compra, venda, permuta e locação de imóveis.

Contudo, a participação e a atuação desse profissional perdem espaço no mercado com o surgimento de iniciativas particulares para negociar um imóvel sem a presença de um profissional capacitado. Antes de efetuar a compra, venda ou locação de um empreendimento, o interessado deve se ater a uma série de cautelas para não transformar a transação imobiliária em pesadelo. A leitura dos documentos referentes ao imóvel, como a certidão negativa do ônus nos cartórios de distribuição, e do proprietário e várias outras necessárias para a conclusão efetiva da negociação são imprescindíveis.

A Associação Brasileira do Mercado Imobiliário (ABMI) se preocupa com a constante divulgação na internet que incentiva as vendas e compras de imóveis sem a intermediação de um corretor. Virgínia Duailibe, presidente da ABMI, alerta para os riscos que o cidadão corre ao negociar um imóvel livremente e repreende os movimentos oriundos da internet que estimulam a dispensa do corretor. “Essas manifestações que tentam menosprezar, das mais diversas formas, a atividade do corretor não têm sido pontuais, muito pelo contrário. São constantes, insidiosas e, mesmo aquelas de caráter subliminar, vêm produzindo estragos no conceito que os proprietários de imóveis fazem dos corretores”.

Duailibe diz que a intermediação vai além da mera apresentação entre as partes envolvidas no negócio. “A atividade de um corretor demanda conhecimento”.

À disposição do cidadão

João Teodoro, presidente do Sistema Conselho Federal de Corretores de Imóveis e Conselhos Regionais (Cofeci-Creci), lembra que não existe lei que obrigue o cidadão a contratar um corretor para fazer a negociação do imóvel, mas existem outros fatores que demandam mais atenção. “Existe a lei que regula a profissão do corretor de imóveis e o coloca à disposição dos cidadãos para que o mercado seja bem atendido e tenha um serviço de qualidade”, explica.

Teodoro enfatiza que a atividade do corretor é extremamente trabalhosa e envolve muito conhecimento: “Hoje, o profissional atualiza o conhecimento sobre o mercado todo tempo, com participações, cursos, certificações e até mesmo graduações com o objetivo de melhorar a oferta de seu trabalho”.

Para ele, o surgimento de sites que propõem dispensar o corretor de imóveis é produto da iniciativa de pessoas que objetivam fraudar as transações imobiliárias. “Estes sites são feitos por pessoas inconsequentes, que não têm conhecimento sobre a complexidade do mercado de imóvel do DF e se aproveitam das pessoas despreparadas”.

 

Fonte:  Jornal Coletivo

Comprador deve se preparar para gastos com escritura e impostos

Comprador deve se preparar para gastos com escritura e impostos da Casa Própria

Quem está prestes a comprar a casa própria deve ter consciência de que o valor do imóvel  não será o único gasto previsto na negociação. Assim, segundo informa  a Primar Administradora de Bens, o comprador deve estar preparado para arcar com as despesas relacionadas à escritura, a taxas e impostos.

No geral, de acordo com o responsável pelo departamento comercial e de locações da Primar, Carlos Samuel Silva Freitas, quem está pensando em adquirir a casa própria deve reservar pelo menos o equivalente a 5% do valor do imóvel para o pagamento de gastos extras.

“O comprador deve reservar pelo menos 5% do valor de compra para cobrir estes gastos extras. Ou seja, se o imóvel for vendido pelo valor de R$ 200 mil, o comprador gastará cerca de R$ 10 mil para quitar todos os tributos cobrados”, observa Freitas.

Taxas e impostos

Dentre as taxas e os impostos cobrados de quem está comprando um imóvel, estão os seguintes:

  • ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis por Ato Oneroso “Inter Vivos”): cobrado pela prefeitura do município no qual o imóvel urbano está localizado, equivalente a 2,5% do bem;
  • Taxa para escritura do imóvel: cobrada para que o documento oficial possa ser elaborado. O pagamento do valor desta taxa varia conforme o valor venal do bem;
  • Taxa para registro da escritura do imóvel: paga para que o documento de registro tenha validade jurídica integral. Valor é o mesmo cobrado na elaboração do registro;
  • Laudêmio da Marinha: cobrado pelo governo federal de imóveis localizados na faixa litorânea, a até 80 metros do mar, sendo que algumas prefeituras exigem o recolhimento do laudêmio municipal.

Fonte: InfoMoney