Arquitetura Sustentável em 2011

Top 5 – Arquitetura Sustentável 2011

Postado em 30/12/2011 às 08h05

 

Por ser uma atividade de transformação, a construção civil se caracteriza como um dos setores que mais consomem recursos naturais e geram grandes quantidades de resíduos, desde a produção dos insumos utilizados até a execução da obra e a sua utilização.

A arquitetura sustentável surgiu para amenizar este impacto em um processo de permanente evolução que enfoca estratégias inovadoras e tecnologias para melhorar a qualidade de vida cotidiana.

A arquitetura pode utilizar técnicas passivas, que são obtidas através do desenho do projeto e escolha dos materiais, ou ativas, que utilizam a tecnologia em favor de benefícios para o maio ambiente.

Separamos cinco projetos que se destacaram no ‘CicloVivo’ em 2011.

1 – Harmonia 57

O edifício sustentável Harmonia 57 não é somente uma construção, mas também um organismo vivo em meio à paisagem paulistana. O responsável pelo projeto é o escritório franco-brasileiro Triptyque.

As paredes do edifício são revestidas com plantas, que são irrigadas por um sistema de vaporização d’água. A captação da água da chuva possibilita redução de até 90% nos gastos com água. Clique aqui para saber mais sobre o projeto.

2 – Edifício Bosco Verticale

Duas torres residenciais, sustentáveis e inovadoras estão em construção em Milão, Itália. O Bosco Verticale será a primeira floresta vertical do mundo, pois cada apartamento possuirá uma varanda com árvores de médio porte plantadas. No verão, as árvores irão sombrear as janelas e filtrar a poeira da cidade, no inverno, o sol irá brilhar através dos ramos nus.

As torres terão sistemas de energia eólica e fotovoltaica para aumentar o grau de autossuficiência energética e a irrigação será feita pelo reaproveitamento de águas cinzas produzidas pelo edifício. Clique aqui para saber mais sobre o projeto.

3 – Cento Cultural Jean-Marie Tjibaou

Projetado pelo famoso arquiteto italiano, Renzo Piano, o Cento Cultural Jean-Marie Tjibaou foi inteiramente planejado com base na cultura Kanak, uma tribo da região de Nouméa, na ilha de Nova Caledônia, Pacífico Sul.

Construído para homenagear Jean-Marie Tjibaou, um líder assassinado da cultura Kanak, a obra é considerada uma das pioneiras da arquitetura sustentável, pois carrega aspectos econômicos, socioculturais e ambientais. O arquiteto utilizou estratégias eficientes de construção sustentáveis para manter os pavilhões frescos e integrá-los à natureza.

4 – Green School

A Green School, construída na ilha de Bali, Indonésia, está dando a seus alunos uma educação relevante, holística e verde em um dos ambientes mais impressionantes do planeta.

O edifício, feito quase que inteiramente de bambu, utilizou técnicas de permacultura e foi um marco na utilização do bambu em grande escala. As salas de aula, feitas em bambu, não possuem parede para proporcionar um melhor aproveitamento da luz natural.

Para diminuir a dependência energética, a escola, faz uso da energia solar. No local também existe uma turbina-moinho, que transforma a força da água da cascata, próxima ao local, em energia. Clique aqui para saber mais sobre o projeto.

5 – Bairro Solar Schlierberg 

O condomínio Schlierberg, em Friburgo, Alemanha, é capaz de produzir quatro vezes mais energia do que consome, provando que uma construção ecológica pode ser muito lucrativa. O bairro é autossuficiente em energia e atinge isso através do seu projeto de energia solar, que utiliza painéis fotovoltaicos dispostos na direção correta.

Os edifícios também foram construídos dentro das normas de arquitetura passiva. Tecnologias avançadas, como o isolamento de portas e janelas a vácuo, aumentam o desempenho térmico do sistema da construção. As coberturas possuem sistemas de captação de água da chuva. Clique aqui para saber mais sobre o projeto.

Mayra Rosa – Redação CicloVivo

 

http://www.ciclovivo.com.br/noticia.php/4047/top_5__arquitetura_sustentavel_2011/

Anúncios

Uso de Chuveiro ou Ducha?

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 

Tudo o que você precisa saber sobre chuveiro elétrico, aquecedor a gás, solar e elétrico

 Texto: Roberta de Lucca   – Ilustração: Caio Borges   – Fotos: Divulgação

 

Entrar no chuveiro com a água em uma temperatura agradável e com boa vazão é uma delícia.

O segredo está na escolha de um sistema de aquecimento eficiente, conjugado a um chuveiro que atenda às necessidades da família, entre elas, economizar água e energia elétrica ou gás.

Por isso, o mais importante antes de escolher o modelo é entender como funciona o aquecimento da água.  O sistema de passagem é usado no chuveiro elétrico e nos aquecedores a gás sem reservatório de água (instalados principalmente em prédios).

No banho com chuveiro elétrico, basta abrir o misturador e a água sai quente.  Se o imóvel tem aquecedor, primeiro sai a água fria que estava na tubulação e depois vem a quente, que começou a esquentar quando a torneira foi aberta.

Outro sistema é o de acumulação.  A água fica em um reservatório e esquenta com aquecedores a gás, solar ou por boiler elétrico.  Tanto nesse tipo de aquecimento como no de passagem a gás, usam-se duchas frias (sem nenhum tipo de aquecimento).  Abaixo, clique nas dúvidas para ler as respostas, que esclarecem minuciosamente o assunto.  Além dos modelos desta reportagem, você precisa conhecer as tendências de chuveiros lançados na Feicon e Kitchen & Bath este ano.

Os preços foram consultados em abril de 2009 e estão sujeitos à alteração e à disponibilidade nos estoques.

 

Chuveiro elétrico

Você sabe por que ele é o mais popular?

Que cuidados devo tomar se optar por ele?

Como conseguir a pressão de água perfeita?
Original, da Fame;  Banhão Hand Control; Potenza Digital;  Evolution, da Lorenzetti
Com aquecedor a gás
Como funciona esse sistema?

Que cálculo faço para saber o tamanho do reservatório de água para a minha casa?

E como faço para ter boa pressão nesse caso?

O que mais preciso saber sobre o aquecedor a gás?

 

Com aquecedor solar
Como funciona esse sistema?

O que é o sistema híbrido?

Se eu optar por esse sistema, como calcular o reservatório que atenda as necessidades da minha família?

 

Boiler elétrico
Como funciona esse sistema?

É possível economizar energia com esse sistema?

E a parte prática? O que devo saber sobre o boiler elétrico?

Sunami;  Viscaya; Ecosmart Crometta;  Loft; Deca; Bonnaducha;

 

 

FONTE:  http://casa.abril.com.br/materias/materiais-construcao/chuveiro-ou-ducha-acerte-escolha-desfrute-banho-delicioso-469974.shtml

Painéis solares: Energia Economia e Sustentabilidade!

 
Painés Solares Fornecem Energia (limpa) e ainda Decoram…

Postado em 13 de fevereriro de 2010; por Mimi às 15:44

 
 
 
 
A energia proveniente da luz solar é uma ótima maneira de economizar e ainda contribuir para a preservação do meio ambiente.
 
Para aproveitar dessa energia são necessários painéis solares que são instalados no telhado da construção.
 
É aí que está o problema: Se for um imóvel antigo que não tem os panéis solares em seu telhado é necessária uma obra para instalar esses painéis causando um grande transtorno.
 
Para resolver esse problema uma empresa chamada SMIT criou uma solução inteligente de painéis solares, o Solar Ivy.
Eles são painéis solares que se parecem folhas e se encaixam perfeitamente nas paredes do imóvel, como mostra a imagem abaixo. […]

Além de decorar os painéis solares são práticos de ser instalados e é claro fornecem energia

de uma maneira sustentável.
 
 
O projeto ainda está em fase inicial, mas seus idealizadores pretendem lançar o Solar Ivy
em breve no mercado.

 
 
 

Acessibilidade é Ter Eficiente Acesso, para Cadeirantes!

Acessibilidade Dentro de ‘Casa’

 

Saiba como adaptar uma residência aos usuários de cadeiras de rodas com segurança, conforto e liberdade   por: Lívia Alves, iG São Paulo | 06/02/2010 20:25
Nada melhor do que chegar em casa e poder desfrutar de conforto e liberdade.  A habitação é um ambiente particular, onde cada um impõe suas necessidades e busca sua identidade.

Esse é um direito de todos, inclusive daqueles que vivem em cadeiras de rodas.

Segundo estatísticas do IBGE, no Brasil, existem mais de 9.300 cadeirantese, mesmo assim, ainda é muito difícil encontrar lugares adaptados ou próprios para essas pessoas.

“Passei cinco anos procurando um lugar para morar que tivesse o mínimo de acessibilidade, com rampas e um bom espaço externo”, diz a vereadora de São Paulo Mara Gabrilli, que ficou tetraplégica após um acidente de carro, em 1994.

Tornar a residência acessível é dar possibilidade e condição de acesso, circulação, aproximação e alcance a um usuário de cadeira de rodas.

De acordo com a doutora em arquitetura inclusiva e diretora-presidente do Instituto Brasil Acessível, Sandra Perito, é a junção desses elementos que torna a residência um lugar seguro, confortável e apto a um cadeirante.

Facilite o acesso Oferecer condição de acesso é eliminar qualquer desnível que possa existir no decorrer no percurso.  “Todo piso deve ter superfície regular, firme, estável, antiderrapante e que não provoque trepidações”, afirma a arquiteta Karla Cunha.

Além disso, é importante que os capachos sejam embutidos no piso e os tapetes ou forrações tenham suas bordas firmemente fixadas.  Caso contrário, simplesmente elimine esses objetos. Libere a circulação Outra condição muito importante ao cadeirante é a circulação.

“A idéia principal de adaptar um lugar é dar total independência ao morador deste local, dar espaço suficiente para que ele consiga se movimentar o máximo possível, diz Sandra.  No caso dos usuários de cadeiras de rodas, uma das recomendações mais importante dentro de um lar é que ele tenha uma área de giro de 360º para se mover com total liberdade e autonomia.

“Gosto de ser livre, de me movimentar.  A pior coisa é ter que chegar em casa, depois de um dia inteiro de trabalho e ficar fazendo manobras para entrar nos lugares”, afirma Mara.  Segundo a arquiteta especializada em acessibilidade, Thais Frota não é necessário um lugar imenso para que o cadeirante tenha liberdade e sim, que o espaço, seja bem projetado com todas as devidas recomendações.

Aumente os espaços

Bancos fixos e barras de sustentação no boxe dão maior segurança ao cadeirante

“As portas precisam ter no mínimo 80 cm de vão livre, os corredores, 1,20 m de comprimento e, no caso de prédios, os elevadores têm que medir 80 cm de largura x 1,20 m de comprimento”, explica Thais.

Além disso, recomenda-se colocar bancos fixos e barras de sustentação dentro dos boxes do banheiro para facilitar o banho dos cadeirantes.

As barras de sustentação, que também são colocadas ao lado do vaso sanitário devem ter 70 cm de comprimento e precisam estar a 75 cm do chão.  “No boxe é correto colocar duas barras de apoio, uma na vertical e outra na horizontal e no vaso sanitário uma de casa lado”, afirma Thais.  Apesar de serem medidas maiores que o normal, como no caso das portas, corredores e elevadores, a vereadora Mara Gabrilli garante que existem alternativas que equilibram esse espaço e não atrapalham os usuários de cadeiras de rodas, como utilizar portas de correr e tirar as paredes da residência. “Meu quarto e banheiro são unidos.  Isso facilitou muito o deslocamento e trouxe conforto”, relata Mara.

Garanta a aproximação

Para melhor aproximação é necessário tirar os gabinetes das pias da cozinha e banheiro

A aproximação é a terceira condiçãopara que o cadeirante sinta-se a vontade em sua própria residência. “O mais importante é retirar todos os gabinetes e colunas sob os lavatórios, pois o usuário de cadeira de rodas precisa do espaço inferior livre para que a cadeira e suas pernas possam se adequar ao ambiente”, afirma Thais. O portador da cadeira de rodas necessita poder alcançar peças e objetos para realizar todas as suas atividades.

Neste caso é preciso prestar atenção quanto a altura e distancia de torneiras, janelas, espelhos, mesas e interruptores.  Segundo Sandra Perito, para maior conforto do cadeirante é recomendado colocar as torneiras ao lado da pia.  Além disso, as janelas têm que ser baixas (80 cm) para facilitar a visualização de fora e os interruptores adaptados ao alcance de todos, sejam cadeirantes ou não.  Nos espelhos recomenda-se uma inclinação de 10º para frente. Conforto individual

As torneiras devem ser fixadas ao lado da pia para facilitar o alcance

Apesar de todas essas recomendações em medidas, quando se fala em residências particulares adaptadas não existe um tamanho padrão e sim medidas individuais.

“Estamos sempre nos baseando na norma da ABNT NBR 9050 (Associação Brasileira de Normas Técnicas), de 2004, mas quando adaptamos residências particulares, o importante é verificar a necessidade e medidas específicas de cada pessoa”, afirma Thais.

“No início, uma das coisas que eu menos gostava era tomar banho sentada no banco dentro do chuveiro. Depois que eu descobri a banheira, minha vida mudou.  Com o tempo, dentro do novo lar, a pessoa descobre suas necessidades e procura adaptá-las”, diz Mara.

Mesmo assim, segundo Karla, nas áreas comuns, como entradas de prédios, jardins e áreas de lazer, essas adaptações padrões são obrigatórias e devem ser cobradas por todos, principalmente pelo responsável do condomínio ou prédio.

Acessibilidade também nas áreas comuns “Aqui no prédio, nós modificamos a calçada da frente e colocamos um elevador para acessar a piscina interna, pois antes só tinha escadas”, diz Lucas Alvarez, arquiteto e síndico do prédio da vereadora Mara Gabrilli.

Sob sua orientação também foi instalado piso antiderrapante sem desníveis na calçada da frente e na área de circulação interna do edifício.  “Temos que transformar a realidade para que se tenha mais opções de moradias para usuários de cadeiras de rodas no Brasil”, finaliza.

 

Fonte:  http://delas.ig.com.br/casa/arquitetura/acessibilidade+dentro+de+casa/n1237541605153.html

Uso de texturas em paredes é maneira fácil de redecorar

Uso de texturas em paredes é maneira fácil de
redecorar a Casa

Textura

Suvinil/Divulgação
“Como combinar texturas na pintura interna?”

Paulo Roberto Gomes – Contagem – MG

As texturas, como a maioria das tintas, são formadas por resinas látex e/ou acrílicas. Não existe nenhuma incompatibilidade para combinar tipos de acabamentos ou cores. Basicamente, as texturas oferecem grande durabilidade, capacidade de encobrir defeitos, resistência a intempéries e boa lavabilidade.

Entretanto, demanda mão de obra especializada. Vários acabamentos são possíveis, por isso, é importante validar o acabamento desejado junto ao profissional que executará o serviço.

 

 

Giulliano Polito, engenheiro civil e especialista em pinturas  – Redação- Estado de Minas

Inove JARDINS Dentro de Sua Casa!!!

JARDINS  VERTICAISCOMO???
 
Veja como pode ficar sua CASA  com cômodos VERDES, ecologicamente e saudavelmente Corretos!!!
 
É possível, sim, e muito agradável ter "Jardins Internos’ em sua Casa ou num ‘Apartamento’…
 

Vertical Gardens by Michael Hellgren

Posted by Dave on November 29th, 2008

Michael Hellgren is a landscape architect who specializes in creating vertical gardens such as the one in the photos below, located in the lobby of a new office building for the pharmaceutical company AstraZeneca in Södertälje, Sweden.

Visit Michael Hellgren’s websitehere.